A dispersão ao compartilhar seus sonhos e planos

  • Concentre-se e alcance o primeiro estado de atenção

Há dois tipos básicos de pensamento relacionados a atenção: o do tipo focado e do tipo disperso. Esses dois tipos de pensamentos são essenciais para o processo de aprendizado e também de vivência humana. O primeiro é alcançado com tempo de prática da habilidade em questão. O segundo é usado, de maneira geral, no processo de aprendizado, ele está ligado à nossa primeira experiência, nossa imaturidade sobre o assunto tratado. Caso você seja inexperiente, não se desespere isso é natural, tente absorver o máximo enquanto estiver nesse modo.

Essa será a questão tratada nesse texto, se você se expõe para os demais para outras pessoas enquanto estiver no primeiro estado de atenção, você volta pro segundo pois se torna disperso.

  • Porque não compartilhar com alguém seus sonhos e projetos futuros:

O que acontece com um objeto que possuí massa quando se expõe a gravidade?
Ele é puxado pra baixo pois a natureza necessita que ele fique no solo. E o que acontece com alguém quando se expõe publicamente que estará prestando um concurso ou resolve mostrar seus projetos futuros para os outras pessoas? Este é puxado pra baixo por essas mesmas pessoas na qual compartilhou seus sonhos no passado. Isso é natural, um movimento de forças que deixo evidente nesse momento, mantenha-se discreto em relação a seus sonhos e projetos futuros.

  • O motivo e como isso ocorre:

A principal causa desse fenômeno é a inveja, ela nasce como um mecanismo de proteção do subconsciente do ser humano. Uma grande parte das pessoas, quando fracassa não admite que outras pessoas tentem ou conseguem o sucesso, assim sendo, essa recusa do sucesso alheio uma força vetorial voltada pra baixo é criada pela pessoa invejosa sobre o indivíduo que teve ou está tentando ter sucesso.

Outro ponto a ser ressaltado é a cobrança demasiada realizada pelas pessoas que você compartilhou seus projetos anteriormente. Você conta pra uma pessoa na segunda-feira que está estudando, já na terça-feira ela te ligará perguntando se está estudando e que ela também quer fazer o mesmo.  Se você for ingênuo e contar pra diversas pessoas, todas te cobrarão e isso criará uma gravidade que acelerará seu corpo sobre o solo. Essa aceleração é são a representação do seu subconsciente, são seus pensamentos negativos gerados pela pressão. São eles: “Isso não é pra mim”, “Estou procrastinando muito” e “Já tem gente mais capacitada que eu na frente”.

  • Resultado ou aparência:

O que você almeja em primeiro lugar? Pelos resultados que você foi capaz de alcançar ou ser destacado e cobrado por desejar grandes conquistas sem ao menos ter provado nada. Obviamente você deseja resultados são eles que você quer ir atrás.

Pense comigo numa situação do cotidiano, um sujeito que você tem contato te pergunta o que você está fazendo, é nesse momento que você pode agir, se desviando como um lutador desse soco verbal: diga que está ótimo, diga que está trabalhando e logo em seguida mude de assunto. Procure não deixar brechas pra uma possível pergunta relacionado à o que você está estudando.

Aquele que almeja resultados em estudos e concursos busca distanciamento daqueles que querem sugar suas energias, daqueles que potencializam a força aceleradora que o coloca pra baixo.

Padrão

O primeiro salto do gafanhoto

Qual o segredo do jovem gafanhoto? Todos sabem que não é exatamente nas pernas. 
O segredo do gafanhoto sem asas é pra onde ele deseja ir, é pra onde ele deseja chegar, o seu objetivo, sua meta, seu foco e posteriormente seu sucesso. O gafanhoto não possui um segredo, ele possui vários segredos. E por que queremos tanto entender seus segredos sem primeiro entender o inseto? Porque queremos primeiro saltar tão longe e alto quanto ele e não apenas um salto qualquer, queremos transcende-lo, ir além do que ele foi com nossas próprias pernas. 

A vida biológica desse inseto é bem simples, é ovo então se torna ninfa e então chega a fase adulta, pode morrer larva se não tiver sorte. Se crescer precisa crescer depressa, assim como todos, quer sair logo dos seus estágios iniciais e abraçar o clímax de sua juventude. No começo de sua jornada biológica ainda não sabe voar, sabe apenas saltar, é por essa ação que nos concentraremos. 

Pergunto então como nós nos fascinamos pelo salto do inseto que vai longe e esquecemos do restante: sua forma, sua origem e seu ciclo. Isso se deve a nossa natureza como um todo, ao nosso foco, ao nosso olhar e nossa perspectiva. Quando tomamos pra nós esse ponto de partida e ignoramos todo o restante começamos a entrar em sintonia com o inseto em questão. Nós nos tornamos parte gafanhoto e adquirimos sorte, adquirimos foco, adquirimos precisão. Nossos acertos serão sempre críticos pois críticos nos tornamos. Para o olhar alheio possuímos apenas sorte, mas interiormente sabemos que temos muito mais que sorte, temos foco. 

Vamos observar o voo do gavião, digo, o salto do jovem gafanhoto? O que eles têm em comum? São ambos voos. Ambas as ações estão no ar, digo, são dependentes do vento. O gafanhoto salta com precisão, mas ele é paciente em primeiro lugar, antes de tudo controla a si mesmo e depois conta com a sorte. Na verdade, ele pouca sorte tem comparado com sua estratégia. Ele espera calmamente os outros gafanhotos saltarem, ele observa a falha dos membros do seu grupo e se prepara em solo baixo para então posteriormente executar o seu grande primeiro salto. 

Sabemos, porém, que o último gafanhoto a saltar e atingir a maior distância nem sempre será o mais bem sucedido mas sim aquele que trilhar o caminho pra novas terras, a novas aventuras. Esse será o mais bem sucedido pois teve suas habilidades balanceadas em todas as regiões que podê. Aquele que ousar ir onde nenhum outro foi, se tornar em primeiro lugar o seu próprio líder e em seguida ser convidado, ser seguido pelos demais a ser o seu guia e lider. 

Seguindo nossa linha de raciocínio veremos a frente o que ficou pra trás, todo esse texto se foi, assim como o que foi deixado pelo jovem gafanhoto que almeja agora saltar mais longe e mais alto depois de seu primeiro grande salto. Ele visa novas terras, novas boas, novas novidades e convida aqueles que tem sorte como ele a se aventurar pelo que ele vê quando lá em cima está. 

Padrão