A guerra contra a crise

As decisões e o posicionamento solido de Winston Churchill durante a segunda guerra mundial foram essenciais para a vitória das forças aliadas. Churchill teve consigo a determinação de um líder e apesar de ter cometido excessos, soube se manter inabalável diante da crise. Como podemos agora, diante dessa nova crise mundial, manter nossa força espiritual e moral elevada havendo uma espécie de jogo obscuro entre as autoridades e mídia e as informações são apresentadas de todos os cantos, cada vez mais desgastando nossa vontade de continuar.

A primeira reação é a negação, muito natural, foi isso que os líderes estratégicos franceses fizeram diante da informação de que haviam centenas de tanques indo em direção do território de seu país e por consequência os puseram numa situação de rendição quase instantânea.

Uma outra reação é o isolamento total das noticias e até mesmo fechar os ouvidos pra todas as próximas possibilidades e analises de outras pessoas sobre nosso futuro, sejam elas negativas ou positivas. É compreensível querer evitar a dor e também é observável na natureza reações como essa em animais que sabem que não podem fugir da presa quando seus músculos se contraem e uma cena teatral é apresentada.

O ponto é exatamente esse, nós temos ferramentas e tempo pra fugir ou lutar do predador que nos cerca, e aí que nossa estamina e vigor contam, se a utilizarmos sem necessidades perderemos a luta. A pessoa também pode se encher de informações inúteis sobre tudo que está ocorrendo no mundo, ela se deixa ser atingida pela paranoia e sua energia é drenada pelas preocupações.

Quais seriam nossas características ideias para mantermo-nos estáveis diante da crise? Não posso fugir do clichê, mas sem dúvida aqueles que perseverarão serão os que conhecem a si mesmo a ponto de reduzir seus erros graves e usar suas habilidades mais fortes para focar em manter sua sanidade mental em dia. Saber seu papel atual e ver seu poder de influência positiva e tentar expandi-lo ao máximo.

Seria a persistência a maior virtude de alguém que fracassou? E se essa pessoa repete as mesmas ações sem realizar mudanças e acaba sempre enfrentando o inevitável fracasso, a persistência apenas lhe traz insatisfações e sofrimento. É necessário mais que persistir, é necessário a capacidade de aprender com o erro anterior.

O ponto chave para se manter dentro da área de estabilidade é saber lhe dar com as frustrações dos fracassos e também erros anteriores. Churchill sabia disso e nos mostrou com uma famosa frase “O sucesso consiste em ir de fracasso em fracasso sem perder o entusiasmo.“ que com elegância resume a grande excelência de alguém vitorioso.

Padrão

A vida e o poema

Se a vida é um poema

Que não tem nenhuma interpretação

Talvez seja como um dilema com só uma opção

Nossa visão unilateral vê só um problema

Se a vida é o que é, o que é ela então?

Um “deja vu” de algo que nunca ocorreu

Um tempo que nos traí de antemão

Enquanto lamentamos da vida que ainda não morreu

Nascemos nesse arvorecer de dores

Que se confundem com as mais belas cores

Que a luz nos nutri com a esperança

E nos tira de nossa insegurança

Se um poema é como a vida,

Não basta letras, palavras, frases e sentimentos

É necessário alguém que nisso veja a dúvida

E crie dentro de si algo que junte todos os elementos


Se a vida tem alma, qual é a alma do poema?

O poeta escreve e o leitor sente e consciente

Se identifica com estrofes sem assunto nem tema

Usa a lupa pra enxergar aquilo que seja convincente

E finalmente do poema há vida, há alma, há luta

Pois a vida é movimento de uma luta absoluta

Se de uma palavra pode causar impacto

Entre o leitor e poeta se fecha um pacto

Padrão